segunda-feira, 21 de abril de 2008

Olhos de Satan na Literatura

Leia o trecho abaixo:
"Nesta sombria análise das cousas,
Corro. Arranco os cadáveres das lousas
E as suas partes podres examino...
Mas de repente, ouvindo um grande estrondo,
Na podridão daquele embrulho hediondo
Reconheço assombrado o meu destino."

Obviamente trata-se de um trecho de alguma música do Cannibal Corpse, ou do Six Feet Under, certo? Errado! Trata-se de um trecho de uma poesia brasileira, uma poesia do autor mais troo (talvez o mais troo) de todos, Augusto dos Anjos.
Trabalhei essa semana lendo todas as obras poéticas dele em busca de provas para mostrar o quanto ele era troo. Veremos abaixo, trechos e explicações que são provas do cárater metalenfs do autor.

1 - "Por tua causa apodreci nas cruzes"
2 - "Semeadora terrível de defuntos"
3 - "Estão dizendo que Jesus é morto"
4 - "Aspecto sepulcral da austera sala"

Os 4 versos anteriores e o trecho citado acima são todos do poema "Poema Negro" do livro "Eu" do autor, vamos à analíse:
1 - A frase "apodreci nas cruzes" é uma óbvia menção à banda Rotting Christ da Grécia.
2 - No intuito de esconder suas raízes de metalenfs, Augusto usa a palavra "semeadora" para que fique escondida a idéia de "colheita", em inglês, "harvest", uma das melhores músicas do Opeth.
3 - Não precisa nem comentar, "Jesus é Morto", além de ser uma frase troo e com aparente erro de concordância (como nós troos fazemos de propósito) é uma alusão à música Helleluyah (God is Dead) do Vader.
4 - Depois de citar bandas de fora, Augusto dos Anjos faz uma homenagem para sua terra e para uma das maiores bandas do país, Sepultura, claro isso quando ele usa a palavra "sepulcral".

Mais versos:
"Na intermitência da vital canseira,
Sois vós que sustentais (Força Alta exige-o...)
Com o vosso catalítico prestígio,
Meu fantasma de carne passageira."
(Poema "Aos meus filhos")

1 - Aqui temos logo no começo, uma menção à banda Vital Remains.
2 - Além de citar Vital Remais, ele chama atenção para a palavra "catalítico", claro, uma maneira mais íntima de chamar a banda Kataklysm.

"Na multiplicidade dos teus ramos,
pelo muito que em vida nos amamos,
depois da morte, inda teremos filhos!"
(Poema "Vozes da Morte")

1 - Temos aqui uma "jogada Metal Core", falando de amor e depois de sexo após a morte (analisaremos essa parte mais a fundo em breve).
2 - O título do poema, além de extremamente tr00, é uma homenagem à uma das melhores músicas do Death, Voices of the Soul.

"Morri! E a Terra - a mãe comum - o brilho
destes meus olhos apagou!... Assim
tântalo, aos reais convivas, num festim,
serviu as carnes do seu próprio filho!"
(Poema "Vozes do Túmulo")

1 - Ao mencionar "Terra - a mãe comum", vemos a clara intenção de mostrar o paganismo no poema.
2 - "O brilho destes meus olhos apagou!", aqui temos um verso inspirado na música Staring Through The Eyes Of The Dead do Cannibal Corpse.
3 - "...serviu as carnes do seu próprio filho!", mais um verso inspirado por mais uma das belíssimas composições do Cannibal Corpse, aqui a música é: Meat Hook Sodomy.

"E hão de achá-lo , amanhã, bestas agrestes,
sobre a esteira sarcófaga das pestes"
(...)
"Estoutro agora é o sátiro peralta
que o sensualismo sodomista exalta"
(...)
"Toda a sensualidade da simbiose"
(...)
"E a consciência do sátiro se inferna"
(...)
"Dentro do elipse ignívoma da lua"
(...)
"Da incoerência infernal daquelas frases"
(...)
"E o turbilhão de tais fonemas acres."
(Poema "Monólogo de uma Sombra)

1 - "Bestas Agrestes", aqui uma forma subliminar de dizer "bestas do leste", um jeito "carinhoso" de chamar a melhor banda de Death Metal de todas, Behemoth.
2 - Claro que logo depois vem uma palavra que diz tudo: Sarcofága. É evidente que Augusto dos Anjos além de todas as bandas já citadas é um grande fã da banda Sarcofago, mais um orgulho nacional.
3 - "Sátiro". Qual a primeira banda que vem na cabeça quando lemos esse nome? Claro! Satyricon, que é mencionado duas vezes, na segunda, em "E a consciência do sátiro se inferna", é uma saudação tr00 das mais honrosas.
4 - Augusto logo menciona uma das palavras mais tr00s que existem, "Sodomia", no trecho "sensualismo sodomista"!
5 - Depois de tantos versos vemos aqui um dedicado ao death metal técnico Necrophagist, nas frases "Toda a sensualidade da simbiose" (Symbiotic in Theory) e "Dentro do elipse ignívoma da lua" (Ignominious and Pale).
6 - "Da incoerência infernal daquelas frases" é uma frase de impacto que traz a tona o sentido do Death/Black/Noise/Crust/Fuck/Technical/Gore/Splatter/Porn/Sadist/Sodomist/Punk 70's metal.
7 - "E o turbilhão de tais fonemas acres." por fim, um verso ao maior mistério nacional, a existência ou não do estado do Acre!

Podemos ainda citar versos que demonstram a paixão do autor pela banda Nirvana em:
"Encontrei, afinal, o meu Nirvana!"
Do poema "O meu Nirvana" que trabalha o amor do Augusto dos Anjos para com a banda e o seu prazer ao se encontrar com os integrantes Kurt, Krist e Dave, em uma de suas passagens pelo Brasil em 1993.

Além disso, temos em "Uma noite no Cairo", todo um poema para homenagear e glorificar um dos maiores nomes atuais do Death Metal, Nile, no verso:
"Soluça toda a noite a água do Nilo"

Agora, companheiros tr00s, está ou não provado que Augusto dos Anjos era um tr00 e um metalenfs dos maiores?! (Participe da enquete e dê sua opinião sobre isso)

Ps:
O termo "metalenfs" significa "metaleiro" em troolinguish.
A parte de "sexo após a morte" será trabalhada em breve em um post.
Sim, eu li tudo ou quase tudo que o autor publicou, incluindo todo o "Eu" e os poemas escritos entre 1900 e 1914, não recolhidos em livro pelo autor.
Deixe um comentário em "sodomizações" se puder e não esqueça de participar da enquete.


Fiquem com Satan ou com a divindade pagã de sua preferência e obrigado pela atenção.

7 comentários:

MatheusH. disse...

errr...
hummm.

MatheusH. disse...

OBS: Acabei de ver que o cara viveu a 100 anos atrás :D

Tr00sphera disse...

- ***** enviou 21/4/2008 14:44:
algusto dos anjos roooooxx \o/
- ***** enviou 21/4/2008 14:44:
mau do seculo rula \o

detalhe para "mau do seculo"
Augusto dos Anjos é considerado como parnasiano ou simbolista, mas de fato um autor pré-modernista, mas com certeza NÃO Romântico, ou seja, não fez de longe parte do movimento do Romantismo, mais precisamente do Mal do Século.

(sobre uma mensagem que eu recebi no msn)

Elton D'Souza disse...

apesar de não gostar de metal, gostei do texto com ligações com esse grande poeta brasileiro

parabéns cara, ficou muito bom esse post

http://cienanosdesolead.blogspot.com/

Marco Antonio disse...

Repulsivo à sua época. Respeitável e nem sempre respeitado.

Leonardo disse...

Muito bom \o/
e tem que fazer um sobre a sodomização do demétrio.

Alcione Torres disse...

Puxa, com esses argumentos... nem posso dizer nada!
Sarapatel de Coruja